apresentação


testo de bom dia


" Não quero ser na tua vida o início do fim, nem o fim de um começo, mas o início de um começo sem fim."

Bem Vindos

Bem Vindos ao Cantinho Poético

domingo, 17 de março de 2013

0

Tanto mais eu te contemplo

Tanto mais eu te contemplo 

Tanto mais eu te contemplo 
tanto mais eu me absorvo 
e me extasio. 
 Como te explicar 
o que em teu corpo eu sinto, 
o que em teus olhos vejo, 
quando nua nos meus braços 
nos meus olhos nua, 
de novo eu te procuro 
e no teu corpo vou-me achar? 
 Como te explicar 
se em teu corpo eu me eternizo 
e de onde e como sendo eu pequeno e frágil 
pelo amor me dualizo? 
Tanto mais eu te possuo 
tanto mais te tornas bela, 
tanto mais me torno eu puro. 
 E à força, 
de tanto contemplar-te 
e de querer-te tanto, 
já pressinto que em mim mesmo 
eu não me tenho, 
mas de meu ser, 
ora vazio, 
 pouco a pouco fui mudando 
para o teu ser de graça cheio. 

 Affonso Romano de Sant'Anna
3

O Que Houve com o Nosso Amor?


O Que Houve com o Nosso Amor? 
 
Meu amor 
 Porque de mim se esqueceu? 
 Que houve com nosso amor? 
 Ainda É você, ainda sou EU! 
 O terrível monstro da rotina de problemas 
do dia-a-dia 
 Sufocou nosso amor 
Que chora, grita, se desespera 
 Sufocado por nossa pseudo mutua indiferença 
 Não suporto mais a dor 
do meu coração que dói 
 Machucado pela espada 
da frieza do seu 
 Meu amor 
 Ainda é você, ainda sou eu! 
 Meu amor 
 Porque me deixa tão abandonado 
 Sozinho 
 De lado 
 Cadê aquele amor 
Que hoje parece nem se importar 
 Posso sofrer, posso chorar 
 Que você ao meu lado 
 Não vai nem ligar 
 Lhe entreguei minha vida 
 Fiz tanto por você 
 Como ninguém mais faria 
 Não posso imaginar a despedida 
 Fui fiel, amante, amigo... 
 Cuidei de você 
E hoje que de ti eu preciso 
 Abandonaste-me a chorar só 
 Sem dó... 
 Foram anos de total dedicação 
 E hoje apenas sinto 
O frio da espada da solidão 
 Cravada em meu peito 
Me deixando assim desse jeito 
Sem rumo, sem direção 
 Adormecido 
 Nosso amor espera por acordar 
Mesmo com tudo 
 Ainda mais forte sei que ele está 
 No meu coração e no seu 
 Pois ainda é 
Você Ainda sou Eu! 
Autor: Lauro Daniel

 http://mundo-das-poesias.blogspot.com/2010/11/o-que-houve-com-o-nosso-amor.html#ixzz2NquWwXrj
0

O PALCO DA VIDA

O PALCO DA VIDA 
 
A vida tornou-se um palco 
Onde muitos usam máscaras 
Sob as quais vão ocultando 
Suas próprias identidades: 
Verdades se tornam mentiras... 
Mentiras se tornam verdades. 
 Exímios protagonistas 
A interpretar seus papéis 
 Exibindo a imagem da vida 
De maneira distorcida 
Ao público extasiado 
Com o realismo da trama 
 Nesse cenário burlesco. 
A versão apresentada 
Não condiz com a realidade, 
Pois retrata tão somente 
O logro e a mediocridade; 
O errado hoje é certo... 
O certo hoje é errado. 
E a platéia a aplaudir 
Conivente a se iludir 
Com o grande espetáculo 
Que a todos contagia, 
Pois essa é a melhor forma 
De fugir da realidade 
 E embarcar na hipocrisia 
Desse baile à fantasia. 
Às vezes, por mero descuido, 
A máscara vem a cair 
Permitindo vir à tona 
A verdade nua e crua, 
Porém, em curtíssimo tempo, 
A máscara é resgatada 
E a farsa continua... 

 Autor: Lourdes Neves Cúrcio 
 Site: Mundo das Poesias

domingo, 10 de março de 2013

0

Vida calma - Dalai Lama

Vida calma - Dalai Lama 
 
A calma duradoura é um estado elevado 
de consciência em que o corpo e a mente 
tornam-se especialmente flexíveis, 
receptivos e prestativos. 
Quando se busca a atividade mental, 
há um estágio em que o esforço 
deve ser abandonado. 
A mente torna-se calma e chega 
ao estado de plenitude. 
Nesse momento, 
qualquer esforço pode perturbar 
a pura tranqüilidade. 
Então, 
para manter essa tranqüilidade, 
é preciso esforçar-se para não se esforçar. 
 A essência de toda a vida espiritual 
é a emoção que existe dentro de você, 
é a sua atitude para com os outros. 
Se a sua motivação é pura e sincera, 
todo o resto vem por si. 
Você pode desenvolver essa atitude correta 
para com seus semelhantes 
baseando-se na bondade, 
no amor, 
no respeito 
e sobretudo na clara singularidade 
de cada ser humano". 

 Dalai Lama
0

Continue...

Continue... 
 Na vida as coisas, às vezes, 
andam muito devagar. 
Mas é importante não parar. 
Mesmo um pequeno avanço na direção certa 
já é um progresso, 
e qualquer um pode fazer 
um pequeno progresso. 
Se você não conseguir fazer 
uma coisa grandiosa hoje, 
faça alguma coisa pequena. 
 Pequenos riachos acabam convertendo-se 
em grandes rios. 
Continue andando e fazendo. 
O que parecia fora de alcance 
esta manhã 
vai parecer um pouco mais próximo 
amanhã ao anoitecer 
se você continuar movendo-se para frente. 
A cada momento intenso e apaixonado 
que você dedica a seu objetivo, 
um pouquinho mais você se aproxima dele. 
Se você pára completamente é muito mais difícil começar tudo de novo. 
Então continue andando e fazendo. 
Não desperdice a base que você já construiu. 
Existe alguma coisa que você 
pode fazer agora mesmo, hoje, 
neste exato instante. 
Pode não ser muito mas vai mantê-lo no jogo. 
Vá rápido quando puder. 
Vá devagar quando for obrigado. 
Mas, seja lá o que for, 
continue. 
O importante é não parar!!! 

 (Autor desconhecido)
0

Tudo é Amor - André Luiz

Tudo é Amor - André Luiz 

Vida - É o Amor existencial. 
Razão - É o Amor que pondera. 
Estudo - É o Amor que analisa. 
Ciência - É o Amor que investiga. 
Filosofia - É o Amor que pensa. 
Religião - É o Amor que busca Deus. 
Verdade - É o Amor que se eterniza. 
Ideal - É o Amor que se eleva. 
Fé - É o Amor que se transcende. 
Esperança - É o Amor que sonha. 
Caridade - É o Amor que auxilia. 
Fraternidade - É o Amor que se expande. 
Sacrifício - É o Amor que se esforça. 
Renúncia - É o Amor que se depura. 
Simpatia - É o Amor que sorri. 
Altruísmo - É o Amor que se engrandece. 
Trabalho - É o Amor que constrói. 
Indiferença - É o Amor que se esconde. 
Desespero - É o Amor que se desgoverna. 
Paixão - É o Amor que se desequilibra. 
Ciúme - É o Amor que se desvaira. 
Egoísmo - É o Amor que se animaliza. 
Orgulho - É o Amor que enlouquece. 
Sensualismo - É o Amor que se envenena. 
Vaidade - É o Amor que se embriaga. 
Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do Amor, não é senão o próprio Amor que adoeceu gravemente. 

André Luiz